acompanhe

Atenção...


Eu já acontecia quando você chegou, e você acha que eu sou sua. Você esquece que quem tem a força sou eu, ou melhor, eu sou a própria potência.
Sua arrogância ingênua é tão ridícula que eu sinto pena, te dou algumas chances mas você sempre se equivoca, me desaponta e estraga tudo quando quer crescer em cima de mim e dos outros, às custas de nós.
Você não aprende, acredita que tem tanta autonomia que seria até capaz de me submeter aos seus interesses mesquinhos. Então eu venho com a convicção de quem tem as respostas e a justiça como aliada e te atropelo, te ultrapasso sem dó. E você mal consegue saber de onde vem o caos, fica só lutando pra continuar existindo, se debatendo. Mas eu costumo deixar você se reerguer na maioria das vezes, muitas delas por piedade.
Não é que eu seja má, não é nada pessoal, é que cada um precisa conhecer o seu lugar, sua relevância, seu potencial, isso por um bem comum. Não é para subestimar, pelo contrário, é para libertar. Mas se não é do seu jeito você não costuma aceitar, não é mesmo?! Aí você sofre, e eu nada posso fazer afinal dei todos os sinais, mas você não reconheceu. Eu cuidei sim de você, acontece que sua teimosia é crônica.
Você achou que eu tava ganha mas presta atenção, eu não sou de ninguém. Não permaneço nos lugares estreitos onde me encaixa, escorro pelos dedos de quem tenta me agarrar a força. Também evaporo se preciso for mudar meu estado, ou incendeio e extinguo tudo ao meu redor, combustão espontânea. Volátil, transparente, efêmera, mutante, tente me definir e já virei outra coisa, e é tudo pra te testar, sim. Por que se eu não te provocar constantemente você estagna, cristaliza e fim.
Tente não se rebelar, compreenda que a gente pode seguir de forma harmoniosa e vai até ser bom, se você confiar em mim. Que eu já estava aqui bem antes, você vai passar, e eu permanecer. Tente não se acostumar, por que eu vou sempre te surpreender.



Sou vida. Viva.


Foto da minha performance "Não se acostume com a vida". Festival Sons e Movimentos, UFSCar São Carlos/SP, novembro de 2019. Entrega, emoção, emancipação.